O DESENVOLVIMENTO DO BEBÊ, SEMANA A SEMANA

formacao-do-bebeMuito bem: vocês descobriram que vão ter um filho. Não importa se é o primeiro, o segundo ou o terceiro; toda gestação deixa os pais apreensivos. A mãe, principalmente, passa os dias pensando em como o bebê está se desenvolvendo – e vai da alegria à preocupação em minutos. A seguir, você vai entender como o bebê se desenvolve, semana a semana.

SEMANA 1

A contagem começa com o primeiro dia da última menstruação da mulher – portanto, ainda não há bebê na primeira semana.

SEMANA 2

O óvulo é fecundado, geralmente na trompa, entre o final da segunda semana e o início da terceira.

SEMANA 3

As informações genéticas dos pais são transmitidas ao bebê na fecundação. Nesse momento, são definidos, por exemplo, a cor dos olhos e o sexo, que depende do cromossomo presente no espermatozoide: X (feminino) ou Y (masculino). Assim, o sexo é definido pelo pai, e não pela mãe.

SEMANA 4

O zigoto (por enquanto, é esse o nome do futuro bebê) implanta-se no útero, e a placenta – responsável pela alimentação do feto durante toda a gestação – começa a se formar. O zigoto tem menos de 1 mm, e é ao final dessa semana, quando a mulher menstruaria, que podem surgir os primeiros enjoos.

SEMANA 5

O embrião desenvolve as três membranas celulares – ectoderma, mesoderma e endoderma – que darão origem aos diversos órgãos e sistemas.

SEMANA 6

Os órgãos começam a se formar, e têm início os primeiros batimentos cardíacos. Da cabeça ao bumbum, o zigoto mede cerca de 5 mm. Os sintomas ficam mais intensos, e, se a mãe ainda não descobriu a gravidez, é provável que comece a desconfiar – a menstruação está atrasada há duas semanas.

SEMANA 7

Os órgãos continuam a se desenvolver – inclusive pernas e braços; é nessa semana que começam a se formar os órgãos genitais. A placenta está pronta e o cordão umbilical se desenvolve.

SEMANA 8

Cotovelos e dedos das mãos e dos pés começam a se desenvolver. O bebê cresceu bastante – foi agora promovido a feto –, e o útero já está bem maior, mas as mudanças ainda não são muito visíveis por fora.

SEMANA 9

No final dessa semana o feto tem aproximadamente 1,6 cm e é bastante desproporcional: a cabeça e os membros superiores são bem maiores que os membros inferiores. O coração está formado e chega a 150 batimentos por minuto.

SEMANA 10

Os olhos já estão bem desenvolvidos, mas localizado nas laterais da cabeça. O pênis (nos meninos) ou clitóris (nas meninas) começa a se formar, assim como a pele do bebê, que ainda é muito fina.

SEMANA 11

A parte crítica da chamada malformação congênita já terminou, mas, mesmo assim, o uso de medicamentos e exames de raio X só devem ser feitos em caso de extrema necessidade e sob recomendação médica.

SEMANA 12

Quase todos os órgãos e estruturas estão formados. Embora a mãe não perceba, o bebê já se movimenta bastante. Os dedos dos pés e das mãos se separaram, e as unhas começam a crescer. O feto tem 6 cm. Os enjoos e o cansaço diminuem, mas o aumento de apetite pode se intensificar.

SEMANA 13

Os órgãos amadurecem. Os olhos e as orelhas começam a assumir a posição natural. A cabeça e o corpo são mais proporcionais, e o feto já tem a aparência de um bebê.

SEMANA 14

Da cabeça ao bumbum, o feto tem aproximadamente 9 cm, mas, da cabeça aos pés, pode chegar a 15 cm.

SEMANA 15

Os ossos começam a ficar mais duros, e o lanugo – uma espécie de pelagem muito fina e protetora – passa a recobrir o corpo do feto e a protegê-lo.

SEMANA 16

Os braços são mais longos que as pernas; já é possível sentir a movimentação! Por meio do exame de ultrassom, pode-se identificar o sexo do bebê.

SEMANA 17

Os reflexos começam a aparecer, e o feto é capaz de piscar, sugar e bocejar. Nesse período, tem início a deposição de gordura sob a pele do feto, que, da cabeça aos pés, mede 17 cm.

SEMANA 18

Os olhos e as orelhas já estão na posição natural e, certamente, a mãe já pode sentir o bebê se mexer. Embora esteja bem grandinho, ainda há muito espaço para ele se movimentar!

SEMANA 19

O “vérnix caseoso” – substância sebácea de cor esbranquiçada que protegerá a pele do feto do líquido do útero e será absorvido pelo organismo do bebê cerca de 24 horas após o parto – recobre a pele do feto. Nessa fase, o feto já tem períodos de sono e alerta intermitentes. Nos meninos, a próstata está formada. Nas meninas, o útero e os ovários – com todos os óvulos que terá durante a vida – também já existem.

SEMANA 20

O lanugo aparece na cabeça; esses pelos cairão na segunda semana após o nascimento. Da cabeça aos pés, o feto mede cerca de 22 cm.

SEMANA 21

O feto está com o corpo coberto de lanugo, principalmente na face, cabeça e pescoço. Braços e pernas mostram-se mais proporcionais ao corpo, e ele não para de se mexer.

SEMANA 22

O feto pode estar beirando 500 g! O cérebro começa a crescer rapidamente; as unhas e as sobrancelhas já estão formadas.

SEMANA 23

Com aproximadamente 27 cm – da cabeça aos pés –, o corpo do feto está cada vez mais proporcional. Ele já pode ouvir os batimentos cardíacos, a digestão e a voz da mãe.

SEMANA 24

Nessa semana, o bebê se mexe muito; é a fase do “chutando a barriga”. Mesmo com cerca de 650 g, se o bebê nascesse agora, teria muitas chances de sobreviver, ainda que o sistema respiratório não esteja totalmente desenvolvido. Da cabeça aos pés, ele mede aproximadamente 28 cm.

SEMANA 25

Os pulmões começam a se desenvolver rapidamente para se adaptar à vida extrauterina. O feto é capaz de ouvir sons que vêm de fora do útero e seus olhos já respondem à luz.

SEMANA 26

Cérebro e pulmões estão se aperfeiçoando. Da cabeça aos pés, o feto mede cerca de 30 cm e pesa aproximadamente 1 kg.

SEMANA 27

Os pulmões são capazes de respirar. As ondas cerebrais do feto são semelhantes às de um recém-nascido. Os cílios estão presentes, e as pálpebras se abrem e se fecham.

SEMANA 28

Os olhos estão formados e o cérebro, bastante ativo. Da cabeça aos pés, o feto mede aproximadamente 35 cm e tem cerca 1,2 kg. Com tudo isso, a mãe, com a barriga bem grandinha, já se sente mais cansada e, às vezes, tem dificuldade para respirar.

SEMANA 29

O cérebro do feto é capaz de controlar a respiração e a temperatura do corpo; no entanto, se nascesse agora, precisaria de aparelhos e seria mantido numa incubadora. O bebê está cada vez mais sensível a sons, luz, sabores e aromas. Ele brinca com o cordão umbilical e se mexe bastante.

SEMANA 30

Com aproximadamente 1,5 kg e 40 cm da cabeça aos pés, o feto tem a pele menos enrugada e, por causa do ganho de peso, já seria capaz de controlar melhor a temperatura corpórea fora do útero.

SEMANA 31

O ritmo de crescimento diminui, mas o feto continua ganhando bastante peso. O único órgão que não está totalmente pronto para o nascimento é o pulmão.

SEMANA 32

Alguns bebês já se posicionam para o parto normal, ou seja, de cabeça para baixo. As unhas – tanto dos pés quanto das mãos – cresceram, e a quantidade de cabelos também aumenta. O feto mede cerca de 42 cm e pesa aproximadamente 1,7 kg.

SEMANA 33

A maior parte do lanugo desapareceu. O bebê treina bastante os movimentos de respiração e sucção. Continua a ganhar peso e, provavelmente, terá mais de 2 kg ao final dessa semana.

SEMANA 34

Os ossos já estão bem duros, e o sistema imunológico, em desenvolvimento. Embora se mexa bastante, já não tem espaço para cambalhotas!

SEMANA 35

É possível que o feto posicione-se na pelve, deixando a barriga mais baixa. Nesse período mede cerca de 45 cm – da cabeça aos pés – e pesa em torno de 2,5 kg.

SEMANA 36

A gordura está se acumulando nos ombros e joelhos. Com cerca de 2,8 kg, está quase pronto para nascer, mas isso pode demorar ainda seis semanas! As visitas ao médico passam a ser semanais.

SEMANA 37

Com cerca de 47 cm e 3 kg, o bebê está pronto para nascer! A partir dessa semana, as contrações podem começar a qualquer momento, e há risco de a bolsa se romper. Se ainda havia dúvida, agora o médico pode decidir entre o parto normal e a cesariana.

SEMANA 38

O bebê tem órgãos bem amadurecidos, e os ossos, flexíveis, continuam a endurecer. Nessa fase, ele ganha cerca de 30 g por dia! Essa gordura, além de fonte de energia, o ajudará a controlar a temperatura corporal após o nascimento.

SEMANA 39

O bebê se prepara para nascer a qualquer momento. Os pulmões estão totalmente maduros, e o intestino produz as primeiras fezes – chamadas de mecônio.

SEMANA 40

Com cerca de 50 cm e 3,5 kg, o bebê deve nascer nesta semana, mas, se isso não acontecer, não se apavore! Ele ainda pode esperar mais duas semanas para vir ao mundo. É muito importante que o médico acompanhe de perto essa fase.

 

Nota Caseirices:

Retiramos esse maravilhoso texto do livro do Guia Prático Pais e Bebês de Nara Raggiotti

A presente obra é disponibilizada pela equipe Le Livros e seus diversos parceiros, com o objetivo de oferecer conteúdo para uso parcial em pesquisas e estudos acadêmicos, bem como o simples teste da qualidade da obra, com o fim exclusivo de compra futura. É expressamente proibida e totalmente repudíavel a venda, aluguel, ou quaisquer uso comercial do presente conteúdo.

Você pode comprar o livro neste link icon smile Gravidez   Principais Sintomas

Gravidez – Principais Sintomas

sintomas gravidezNenhuma mulher é igual a outra, e cada gestação tem suas particularidades. Nem sempre você vai ter os mesmos sintomas que sua amiga, sua mãe ou vizinha. Da mesma forma, o que você sentiu na primeira gravidez pode não se repetir na segunda. Em algumas mulheres, os primeiros sinais da gravidez aparecem antes mesmo do atraso da menstruação; outras só passam a desconfiar quando há o atraso. Há ainda aquelas que não sentem absolutamente nada e, em muitos casos, apresentam um sangramento semelhante ao da menstruação – o que as leva a não suspeitar de uma possível gravidez.

A seguir, você vai conhecer os 11 sintomas mais comuns da gravidez.

1. ENJOOS

Os enjoos são mais comuns no primeiro trimestre, devido ao aumento da gonadotrofina coriônica humana (HCG), hormônio que, exceto em casos de uso de alguns medicamentos, só é encontrado no corpo durante a gestação. É esse hormônio que os testes de gravidez procuram detectar.

Em geral, os enjoos são mais intensos na primeira gestação, mas não há uma regra. Às vezes, os enjoos podem levar ao vômito, mas é importante não deixar de alimentar-se. Evite frituras, gorduras e condimentos fortes; pela manhã, o consumo de alimentos secos, como torradas, pode ajudar a aliviar os enjoos.

2. VONTADE DE FAZER XIXI A TODA HORA

O aumento da frequência urinária tende a ser maior no primeiro e no terceiro trimestres da gravidez, quando o bebê – já bem grandinho – começa a pressionar ainda mais a bexiga da mãe. O único remédio para isso é ter sempre um banheiro por perto! E não se assuste se, ao final da gravidez, escapar um pouquinho de xixi quando você rir ou espirrar! Se necessário, use absorventes.

3. MUDANÇAS NO APETITE E DISTÚRBIOS GÁSTRICOS

Muitas mulheres, no início da gravidez, devido aos enjoos, perdem o apetite e chegam mesmo a perder peso, ao invés de ganhar. A partir do segundo trimestre, entretanto, o apetite aumenta bastante.

É importante, no entanto, manter uma dieta saudável e um cardápio variado, com muitas frutas, legumes e verduras distribuídos em pequenas refeições de três em três horas. Mesmo que esteja ganhando muito peso, nem pense em fazer dieta – a não ser por recomendação e orientação de seu médico.

Outro sintoma bastante recorrente é a azia. Conforme a gravidez se desenvolve, o útero cresce e passa a pressionar a região intra-abdominal, diminuindo a capacidade do estômago, o que leva ao refluxo gastroesofágico. Isso causa a azia, popularmente conhecida como queimação.

4. DESEJOS E AVERSÕES

O desejo por certos tipos de alimento e a aversão a outros podem perdurar por toda a gravidez – embora esse sintoma seja mais comum e intenso no primeiro trimestre. Algumas mulheres passam a adorar alimentos que antes odiavam, ou a detestar os pratos prediletos.

5. CANSAÇO E SONO

Assim como a vontade fazer xixi a toda hora, o cansaço e o sono são sintomas comuns no primeiro e no terceiro trimestres. No final da gravidez, é comum ainda que a gestante sinta dores lombares e nas pernas. Ter uma rotina mais tranquila e, sempre que possível, tirar alguns minutos para descansar pode ajudar bastante. Lembre-se: seu corpo está trabalhando muito – procure ouvi-lo e respeitá-lo.

6. SEIOS INCHADOS E DOLORIDOS

Quanto aos seios, assuma-os! Eles ficarão turbinados até o final da amamentação. O aumento do tamanho das mamas é resultado da multiplicação e da ramificação do sistema de ductos mamários. Durante praticamente toda a gestação, os seios ficam muito sensíveis; por isso, procure usar sutiãs de alças largas e que ofereçam suporte às mamas, para aliviar o desconforto. Em muitas mulheres, ocorre ainda o escurecimento dos mamilos, decorrente da ação dos hormônios da gravidez.

7. TONTURAS

Em geral, as tonturas são consequência das mudanças que estão ocorrendo no sistema circulatório. Com a gravidez, o volume sanguíneo aumenta, e o coração precisa trabalhar mais para dar conta do recado.

Em geral, a tontura é passageira. Para amenizá-la, sente-se e coloque a cabeça entre os joelhos ou deite-se do lado esquerdo. Se a tontura for constante e acompanhada deoutros sintomas, como visão embaçada, dores de cabeça e palpitações, procure o médico.

8. INCHAÇO

Mais comum no último trimestre da gestação, o inchaço costuma se manifestar nos pés e nas pernas; fique alerta em caso de inchaço nas mãos e no rosto, principalmente se você é hipertensa ou tem histórico da doença na família.

9. CÓLICAS E PEQUENO SANGRAMENTO VAGINAL

Cólicas suaves e, às vezes, um pequeno sangramento ou corrimento de cor marrom não indicam, necessariamente, algum problema. As cólicas podem acontecer porque os ligamentos estão se distendendo para sustentar o útero; são mais comuns no primeiro trimestre, mas podem perdurar ao longo da gestação.

Os sangramentos, no entanto, merecem mais atenção. Costumam ocorrer no início da gestação – principalmente no primeiro mês –, quando o embrião, ao se implantar no útero, pode provocar o rompimento de vasos sanguíneos. Em geral, esse tipo de sangramento é leve e dura, no máximo, dois ou três dias. Se você tiver dúvida ou se o sangramento for intenso, procure o médico.

10. MUDANÇAS DE HUMOR

Durante a gravidez o corpo da mulher passa por uma grande transformação. As alterações hormonais provocam mudanças físicas e emocionais.

Nessa fase, é normal ficar mais sensível, por isso, não se preocupe se você se pegar chorando à toa! Converse com o seu companheiro sobre o assunto; é importante que ele conheça as mudanças e saiba como lidar com elas. Ainda no campo emocional, muitas mulheres tendem a ficar mais carinhosas e apegadas ao companheiro. Mas não se anime, papai… O contrário também ocorre, e muitas vezes a futura mamãe pode passar a ignorá-lo! Nesse caso, mantenha a calma e a apoie, pois tudo voltará ao normal no máximo daqui a nove meses!

Papai a bordo

Leve-a ao médico sempre que puder e vá a pelo menos um exame de ultrassom. É emocionante!

Ajude-a nas tarefas domésticas, nem que seja preparando o jantar ou lavando a louça.

Não deixe que ela faça esforço desnecessário ou pegue peso. Faça as tarefas mais pesadas por ela!

Elogios e presentes para ela e para seu filho – como uma flor, um sapatinho ou um cartão – não custam muito e vão deixá-la muito feliz.

Procure entendê-la! Nem sempre sua companheira estará disposta para um passeio ou uma noite romântica; às vezes, ela pode chorar sem causa aparente, e haverá momentos em que, assim como você, ela ficará preocupada com o bebê, se perguntando se o parto será tranquilo e se ela será capaz de cuidar da criança.

Nota Caseirices:

Retiramos esse maravilhoso texto do livro do Guia Prático Pais e Bebês de Nara Raggiotti

A presente obra é disponibilizada pela equipe Le Livros e seus diversos parceiros, com o objetivo de oferecer conteúdo para uso parcial em pesquisas e estudos acadêmicos, bem como o simples teste da qualidade da obra, com o fim exclusivo de compra futura. É expressamente proibida e totalmente repudíavel a venda, aluguel, ou quaisquer uso comercial do presente conteúdo.

Você pode comprar o livro neste link 🙂

Como incentivar o seu filho a comer frutas

Não sabe mais o que fazer para incentivar o seu filho a comer frutas? Calma mamãe, não entre em pânico – pratos divertidos podem ser uma boa alternativa, para incentivar o seu filho a comer mais frutas.

como-fazer-seu-filho-comer-frutas-01

Essas alternativas inicialmente  parecem trabalhosas, mas pense bem: frutas são essenciais para a nossa saúde. É preferível ter um pouco mais de trabalho ao fazer esses pratos do que depois ficar “gastando madrugadas” em um médico. Pense nisso 🙂

como-fazer-seu-filho-comer-frutas-02como fazer seu filho comer frutas 04como-fazer-o-seu-filho-comer-frutas-03Gostaram das dicas?